segunda-feira, 24 de maio de 2010

Às sem são

O que procuro
não se acha dentro de nada,

nem está escondido.

Não vem da estrada.

nem é um elo perdido.
O que procuro é a simples caminhada

de um coração partido

entre o compasso e a parada.


O que procuro
não são ossos quebrados,
nem é algo inalcançável.

Está além dos quadros
e é maior que o louvável.

O que procuro são estados

de consciência não questionável

e de espírito não exaltados.

2 comentários:

Genny LiMo disse...

=) ótimos versos.

Cld disse...

maaassa galo. gostei