sábado, 13 de novembro de 2010

Réquiem ao além


Planejo, almejo, quero e desejo
o meu mundo, segundo um lampejo.
Imito, medito, acredito, transmito
e acordo a bordo de um mito.

Condigo com que digo senão, castigo,
e se não me fizer sentido, intrigo.
Espero, austero e quero esmero,
do contrário, tudo que sinto enterro.

Vou aquém do amém nesse réquiem,
agindo, corrigindo e grunindo.
Na mais bestial canção ao além,
e o ciclo continua seguindo.

3 comentários:

Genny LiMo disse...

LOL, totalmente do além é?
Gostei, gostei demais.


=) Boa noite, Glauber, se cuide.

Thainá Ismael disse...

Procuro, procuro, procuro...
Sem nem saber o que é.

Paixão disse...

pqp como eu piro nisso ;D