quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Vento de porto


Comporto
como o porto
em que aporta
o barco
que se porta
se despedindo
na chegada
de novas águas
e as que foram
se vão e vem
e são sempre fluir
e o porto ali
no ir e vir
de toda ação
abandonada
em monção
e a emoção
destinada
acaba indo
em frente
ao vento
construindo
de novo
tudo diferente.

3 comentários:

Guilherme Navarro disse...

Sereno, sublime, genial!

Juliana Dee disse...

Que lindo!
Está sumido, apareça
BEIJOS

Elisa . disse...

Muito gostoso de ler.