sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Quando se morre por dentro


Enquanto não se aprender a ter respeito,
a vida vai arrancar de dentro do peito
lições que poderiam se aprender observando
toda a imensidão do universo conspirando.
Então aprenda no primeiro momento.

O futuro é um horizonte em movimento.
Aprenda o caminho com quem tá vindo.
Errar, falhar pode até ser humano,
mas pensar que o mundo não está sentindo
é desumano, demasiadamente desumano.

Não precisa se antecipar a quem critica,
a distância é maior para quem fica.
A mentira machuca mais a quem guarda.
O acaso é uma brincadeira da sorte,
e não tem parte forte quando se acovarda.

(Em toda a vida há um risco de morte.)

4 comentários:

Anônimo disse...

Existe pior dor do que a de se ver morto no peito do outro?

Seus textos são fodas! Parabéns!

Genny LiMo disse...

hahaha... Lindo o poema, Glauber.
Cslma calma! xD


Boa tarde e boa sexta-feira nebulosa.

Anônimo disse...

Nunca me arrependo de passar por aqui.


Lorrayne L.

EWERTON LAGES disse...

huahauha "desumano, demasiadamente desumano" muito foda... kra texto massa eim, frases sábias, meu caro buda... ;)