sábado, 6 de setembro de 2008

Conforto do Tempo

Faltam horas pra passar
falta silêncio pra pensar
algumas tralhas pra arrumar
e o coração pra esquecer

faltam memórias pra apagar
a frase certa pra encontrar
na hora exata de dizer
quando nada de mim sobrar

faltam sorrisos pra alegrar
as flores em meu jardim
faltam zelos e afetos
coisas naturais pra mim

falta uma grande mudança
pra trazer esperança
falta naturalidade pra encarar
e maturidade pra falar a verdade

falta sinceridade pra contar
que a gente sente falta
e dentre tantas faltas
me falta falar
que o que me conforta
são as horas
que ainda faltam passar.

1 comentários:

marcita disse...

as vezes me falta tanto essas coisas.
muito bom. vou roubar tudinho esses teus poemas ;DD
mas nao te preocupa, vou dizer q é teu. heheh