domingo, 7 de setembro de 2008

Você amolece e eu endureço

Rumando ao sul em quentes pulsações
Motor ronronando pulsando, dilatações
Treponema entrando em fase de liberação
No ritmo do ronrom, em ascensão

Você vai amolecendo
Eu vou endurecendo
E rumando ao sul com sorte
Conseguirei chegar ao forte

Sussurros e tremores
Como em dias de carnaval
Zumbindo os tambores
Na pura consumação carnal

Entre urros e adjetivos diversos
Caíram em esquecimento os adversos
Lembrando somente do gosto
Azedinho-doce do sul da barriga
E esse sabor me inspira a “estiga”
E me faz afogar o rosto.

2 comentários:

Nelson disse...

Lembrou "A Euterpia".. Uma banda de Belém que ouvi numa viagem dessas.. rs

Anônimo disse...

hahahahaha

raph